GDS

É um método global de fisioterapia e de abordagem biomecânica e comportamental, que atua na prevenção, no tratamento e na manutenção da boa organização corporal. Criado e desenvolvido pela fisioterapeuta e osteopata belga Godelieve Denys-Struyf, nas décadas de 60 e 70, o método visa uma leitura precisa do gesto, da postura e das formas do corpo, favorecendo uma abordagem individualizada.

O método GDS trabalha com o conceito de que nossa atitude postural e a forma de nosso corpo deriva de uma multiplicidade de fatores, desde a nossa genética até o psiquismo e o comportamento, ou seja, nossas emoções, nossos sentimentos, nossa maneira de ser e nossas vivências influenciam nosso sistema ósteo-articular, através da atividade muscular, nos moldando.

Para GDS há seis famílias musculares que dão ao corpo a possibilidade de se expressar, que podem, quando em excesso de tensão, aprisionar o corpo, dificultando sua adaptabilidade mecânica e comportamental, o que pode gerar dor e sofrimento. A proposta do método é a leitura precisa dessa linguagem a fim de determinar os meios de desfazer essa prisão muscular para que o corpo possa reencontrar a liberdade de movimentos e de expressão.